Texto e foto de Christopher Gama - Seção Sindical Embrapa Sede

Os trabalhadores da Embrapa Sede, Hortaliças e Cerrados deliberaram, em assembleia conjunta, realizada quinta-feira (08), sobre a entrada via judicial contra a medida que visa retirar o transporte dos trabalhadores.

Em comunicado encaminhado na última quarta-feira (07) ao Sinpaf, a Diretoria Executiva da Embrapa informou que adiou para primeiro de março o prazo para o cancelamento das linhas. Com isso, a assessoria jurídica do Sinpaf Sede, em acordo com a comissão representativa em defesa do transporte dos trabalhadores, propôs à assembleia que se leve essa demanda à Justiça do Trabalho para garantir a manutenção de todas as linhas. A proposta foi aprovada de forma unânime.

Os participantes da assembleia aproveitaram a ocasião para criticar a forma como a Embrapa tem reduzido benefícios dos empregados de forma absolutamente arbitrária, sem discutir com os trabalhadores, como ocorrido com a retirada do restaurante e, agora, das linhas de transporte.

Protesto na Câmara

A Assembleia decidiu também que, após a volta do recesso de carnaval dos parlamentares da Câmara dos Deputados, mobilizará um grupo de trabalhadores para entregar uma carta aberta a cada parlamentar contra as recentes investidas privatistas do governo, em especial, contra o PL 9.215 de 2017, que prevê a possibilidade de dissolução ou alienação de qualquer estatal que não demonstre lucro financeiro.

O sindicato manterá os empregados informados de cada novo encaminhamento com relação à defesa da manutenção do transporte e sobre o protesto na Câmara dos Deputados.