Nesta terça-feira (23/1), as Seções Sindicais Embrapa Sede e Cenargen realizaram assembleia para discutir ações pela manutenção do transporte para os empregados do Parque Estação Biológica (Brasília-DF), que compreende a Sede da empresa e as unidades Agroenergia, Informação Tecnológica, Produtos e Mercado, Quarentena Vegetal, Café, Escritório de Negócios e Cenargen.

De acordo com informativo interno da empresa, o corte do serviço de transporte terá início em 19 de fevereiro.

A chefe do Departamento de Administração do Parque Estação Biológica (DAP), Mairma Alves de Farias, falou que serão suspensas sete linhas de ônibus que chegavam a cidades como Samambaia, Ceilândia, Planaltina e Santa Maria, entre outras, para serem substituídas por apenas duas linhas: uma para a área Norte do Distrito Federal (sentido Sobradinho) e outra para a Rodoviária do Plano Piloto.

Mairma justificou que a "redução das linhas" é resultado dos últimos cortes de orçamento que a empresa sofreu do Governo Federal, sob orientação do Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, de que "a Embrapa tem que cortar na carne". "Chegou a hora que a empresa precisa reduzir as despesas da Sede. Tem que priorizar as unidades de pesquisa, que é onde a Embrapa acontece", disse a chefe do DAP.

A chefe falou, ainda, que foi realizado um "estudo" para justificar a modificação no transporte. Porém, esse estudo não foi apresentado aos trabalhadores.

Para o assistente Claudio Bezerra Melo, que mora em Valparaíso de Goiás, a mudança vai implicar em mais uma condução para se locomover para o trabalho. Conforme explicou o trabalhador, além do transporte da empresa, ele ainda pegava mais um ônibus para a cidade e uma carona para casa.

ACORDO COLETIVO - O Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2017-2018, fechado parcialmente em dezembro, estabelece em sua cláusula 4.1 que a Embrapa deve manter, em todas as Unidades, serviço de transporte de qualidade e com segurança para os empregados. A exceção a essa regra seria somente nos casos de falta de disponibilidade financeira da empresa.

Tendo em vista que a dotação orçamentária da Embrapa para 2018 já estava prevista e disponibilizada desde 2017, e levando em consideração os gastos rotineiramente praticados, no que se inclui o serviço de transporte, não há motivos para que ocorra a suspensão das linhas que atendem os empregados do Parque Estação Biológica.

Para o presidente da Seção Sindical Cenargen, Nilson Carrijo, "é preciso que os trabalhadores reajam agora quanto às tentativas da empresa de retirar direitos já garantidos. A Embrapa precisa mostrar os números sobre o que está sendo gasto, não só retirar direitos pura e simplesmente, sem argumentos. Temos um ACT vigente que precisa ser respeitado", afirmou o dirigente sindical. 

MOBILIZAÇÃO E RESULTADO – Na assembleia realizada pelas Seções Sindicais Embrapa Sede e Cenargen, os filiados decidiram realizar, ao término da deliberação, uma caminhada com "apitaço" até a sala da diretora de Administração e Finanças, Lucia Gatto. Pressionada pela mobilização, a diretora decidiu se reunir com a comissão dos trabalhadores na próxima quinta-feira (25/1), às 10h.