Mais respeito e menos burocracia: sem preservar a vida e a saúde de trabalhadoras e trabalhadores não teremos pesquisa e desenvolvimento agropecuário

É imperioso que haja a manutenção dos contratos com as empresas prestadoras de serviços e a exigência de garantia de emprego das trabalhadoras e trabalhadores terceirizados. Internamente, o que se espera é razoabilidade na caracterização de serviços ditos essenciais e a montagem de uma escala mínima para seu cumprimento, priorizando sempre que possível o revezamento em escala de sobreaviso.

Por: Diretoria Nacional | | Notícias gerais

Sem preservar a vida e a saúde de trabalhadoras e trabalhadores não teremos pesquisa e desenvolvimento agropecuário

Diante da situação sanitária emergencial que o país e o mundo se encontram, para debelar a pandemia da Covid-19, o SINPAF, mais uma vez, atuando em defesa da vida dos trabalhadores e trabalhadoras, reivindica que as Diretorias da Embrapa, Codevasf, Distritos de Irrigação, Pesagro e Emepa suspendam imediatamente as atividades das empresas e liberem todos os seus empregados e terceirizados para ficarem em suas casas.

Algumas das empresas já iniciaram os procedimentos visando para o isolamento social de trabalhadoras e trabalhadores. Contudo, são medidas insuficientes ou paliativas, diante do momento em que estamos vivendo.

É imperioso que haja a manutenção dos contratos com as empresas prestadoras de serviços e a exigência de garantia de emprego das trabalhadoras e trabalhadores terceirizados. Internamente, o que se espera é razoabilidade na caracterização de serviços ditos essenciais e a montagem de uma escala mínima para seu cumprimento, priorizando sempre que possível o revezamento em escala de sobreaviso.

Além disso, devem ser abolidos todos os entraves burocráticos para a realização de teletrabalho. A exigência condicionante de confecção de Plano de Trabalho e Aditivo ao Contrato de Trabalho revela um caráter desumano nesse momento de pânico pandêmico que vivenciamos.

A manutenção de pessoas em suas rotinas de trabalho é propícia à contaminação e disseminação do vírus, em escolher manter essa posição, os dirigentes das empresas da base do SINPAF certamente irão ser responsabilizados, caso venhamos perder vidas dentro de nossas empresas ou em nossos lares.

É nesse cenário que reiteramos nosso apelo pela liberação total e sem burocracia de trabalhadores e trabalhadoras de nossas empresas, e no intuito de contribuir na construção de um programa de liberação imediata de todos nos colocamos à disposição.

Estaremos vigilantes e atentos. Qualquer denúncia pode ser feita pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

| Mais do Sinpaf

ACT da Embrapa é prorrogado por mais 30 dias

O SINPAF e a Embrapa acordaram a prorrogação do Acordo Coletivo de Trabalho por mais 30 dias, ou seja, com vigência até o dia 30 de junho de 2020.

Saiba mais

SINPAF envia às empresas da base sugestões de medidas emergenciais de proteção dos trabalhadores e trabalhadoras em revezamento

Nesta semana, a Diretoria Nacional do SINPAF encaminhou para as empresas da base do Sindicato sugestões de medidas emergenciais de proteção aos trabalhadores e trabalhadoras que estão em situação de revezamento, para segurança contra a contaminação da Covid-19. A diretoria, entretanto, defende o isolamento social como principal medida de segurança contra a doença, assim como o teletrabalho para aqueles que têm condições de exercerem suas funções de suas casas.

Saiba mais


ACT Embrapa 2020-2021: terceira rodada sem avanços

Mais uma vez, o presidente do SINPAF solicitou aos representantes da Embrapa a apresentação do índice econômico para reajuste de salários e benefícios. Entretanto, a empresa alegou que ainda não recebeu do governo uma proposta de índice de reajuste para as cláusulas econômicas.

Saiba mais

Acompanhe como estão as negociações do ACT 2020-2021 da Codevasf

A empresa propôs reajustar as tabelas salariais e funções gratificadas pelo índice correspondente a 20% do INPC acumulado no período compreendido entre 01/05/2019 e 30/04/2020, aplicado a partir da celebração do Acordo, sem pagamento de retroativo. 

Saiba mais

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco