Nota de repúdio à chefia da Embrapa Meio-Norte

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário – Seções Sindicais Teresina e Parnaíba, subscritas pela Diretoria Nacional, vêm publicamente repudiar e lamentar a postura adotada pela Chefia da Embrapa Meio-Norte. 

Por: Camila Bordinha | | Notícias gerais

Nota de repúdio à chefia da Embrapa Meio Norte

NOTA DE REPÚDIO 

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário – Seções Sindicais Teresina e Parnaíba, vêm publicamente repudiar e lamentar a postura adotada pela Chefia da Embrapa Meio-Norte de emitir aos seus empregados inúmeras cartas de Notificações de Audiência escrita, citando a Norma de Penalidade nº 037.009.006.005, as quais têm-se mostrado desproporcionais, sem olvidar do próprio descumprimento dos prazos para julgamento (Itens 7.9 e 11.3, alínea “c”) e falta de acesso integral dos empregados aos autos do processo (Item 10.7), fulminando a ampla defesa e o devido processo legal.

Em outra banda, temos observado que as Notificações de Penalidade instadas pela Empresa por meio da Norma 037.009.006.005 estão sendo usadas em caráter autoritário e perseguidor, eliminando-se todo e qualquer diálogo prévio com o coletivo de trabalhadores. Até mesmo as comissões de sindicância, outro instrumento previsto em norma, foram praticamente abolidas, disseminando o caráter autocrático das decisões.

Contribui ainda para o cenário nefasto e desolador a demissão por justa causa aplicada recentemente a um pesquisador após um processo administrativo de desídia, que penalizou o empregado em um momento de grande crise econômica no País, tanto que a própria Embrapa sofrera com o contingenciamento financeiro e com a redução de editais de fomento à pesquisa, o que denota contrassenso da decisão tomada, uma vez que os empregados não concorreram para essa situação.

A Embrapa Meio-Norte, uma das 43 Unidades Descentralizadas da Embrapa, tem uma agenda de pesquisa voltada para as soluções tecnológicas da região. Sua história demonstra alcance de grandes feitos para o Piauí e Maranhão, estados que mudaram seu panorama agrícola recentemente. Para tentar estabelecer um efeito causal nocivo de tal forma de gestão, o atual conceito da Unidade no processo de avaliação institucional caiu drasticamente de A (2017) para C (2018), revelando o desacerto da gestão, que não pratica o diálogo com seus empregados, fomentando o medo e o descontentamento.

Ambos, empregados e empresa, são vítimas. As normas deixam de ser um norte para o bom desempenho do empregado e passam a ser uma ferramenta de abate. Isso se reflete também no abandono da UEP de Parnaíba, onde o descaso com os empregados é ainda mais notório. Controle e redução de recursos financeiros, ausência de Responsáveis Técnicos (RTs) e novos editais de projeto são questões que se arrastaram por longo tempo e contrastam com a agilidade na aplicação de penalidades, provocando um desmonte de todos os trabalhos de pesquisa.

A gestão atual encerra seu mandato em setembro de 2019 e atravessa a fase final de seu mandato com um patente rastro de beligerância, deixando vários empregados literalmente adoecidos. Prova disso é o PDI (Programa de Demissão Incentivada) aberto, em que muitos empregados com mais de 30 anos de contribuição estão deixando a empresa, em face do estado de temor existente no ambiente laboral, ratificado pelos vários procedimentos de apuração de penalidades instaurados. A gestão da Unidade pouco tem conversado com o corpo de empregados no dia a dia. Observe-se que por ocasião da saída dos empregados na primeira etapa do PDI, o Chefe Geral estará em agenda de férias.

São de causar indignação os procedimentos adotados e a falta de humanidade desta gestão. Não existe inimigo, pois todos lutam pela missão da Embrapa junto à sociedade brasileira.

Para além de qualidade de processos, a vida humana, a qualidade de vida do trabalhador deve ser respeitada. Existem medidas amargas que precisam ser tomadas, porém, há formas mais solidárias de efetivá-las, circunstância que não observamos nesta desastrosa gestão.

Juntos pela Embrapa!

Teresina, 06 de agosto de 2019.

SINPAF

Seção Sindical Teresina

Seção Sindical Parnaíba

A Diretoria Nacional do SINPAF subscreve.

Receba notícias direto em seu e-mail:
assine nosso informativo

Fale conosco